terça-feira, 11 de setembro de 2012

ATUALIDADES | Netanyahu: 'Israel não pode esperar para agir contra Irã'


'Aqueles da comunidade internacional que se recusam a fixar limites a Teerã não têm o direito moral de impô-los a Israel', advertiu o premiê.



O primeiro-ministro Benjamin Netanyahu acusa o Irã de tentar fabricar bomba atômica (Jack Guez/Reuters) 


O primeiro-ministro de Israel, Benjamin Netanyahu, declarou nesta terça-feira que, se a comunidade internacional não quer impor limites a Teerã no que diz respeito ao seu programa nuclear, não pode pedir a seu país que espere para agir contra o Irã.

"O mundo diz a Israel que ainda há tempo. Eu respondo: tempo para quê, tempo até quando?", questionou Netanyahu, durante uma entrevista coletiva promovida por ocasião da visita do premier búlgaro Boyko Borissov a Jerusalém. "Aqueles da comunidade internacional que se recusam a fixar limites ao Irã não têm o direito moral de impô-los a Israel", advertiu.

“O fato é que, a cada dia que passa, o Irã está cada vez mais perto da bomba nuclear. Se o Irã sabe que não existem limites ou prazo máximo, o que irá fazer? Exatamente o que está fazendo: continuar sem qualquer interferência para obter capacidades nucleares e, a partir daí, bombas atômicas", completou Netanyahu.

David Cameron, premiê britânico 


David Cameron - Enquanto isso, um enviado especial do governo britânico pediu recentemente às autoridades de Israel que não ataquem as instalações nucleares iranianas, publicou hoje o jornal israelense Haaretz. Segundo a publicação, que cita uma fonte do governo, o emissário entregou há duas semanas uma mensagem pessoal do primeiro-ministro britânico, David Cameron, sobre o assunto às autoridades do país.

O representante se reuniu com Netanyahu, com o ministro da Defesa, Ehud Barak, além de autoridades diplomáticas e do setor de segurança, para expressar que Londres defende uma solução diplomática ao controverso programa nuclear iraniano. Mark Regev, porta-voz do premiê isralense, se negou a fazer comentários. A embaixada britânica em Israel também evitou fazer declarações.

Histórico – Israel considera o programa nuclear iraniano uma ameaça e seu primeiro-ministro insiste que as sanções internacionais impostas ao país não estão funcionando. Esta postura ampliou a distância entre o governo israelense e a administração de Barack Obama, que acredita que ainda há tempo para o Irã modifique sua atitude e decida esperar para ver os efeitos das sanções.

O jornal israelense Haaretz publicou hoje que a Casa Branca teria rejeitado um pedido de Netanyahu para se reunir com o presidente americano nos Estados Unidos neste mês em razão da desavença. Uma autoridade israelense, que não quis ser identificada, explicou que autoridades de Washington disseram que o encontro não seria possível, pois “a agenda do presidente não permitiria".

O Irã é acusado de tentar desenvolver uma arma atômica, versão negada pelas autoridades iranianas, que garantem que seu programa nuclear é civil, com finalidades pacíficas.