sexta-feira, 7 de setembro de 2012

ATUALIDADES | China e Japão, disputa territorial.


A TENSÃO VOLTOU

China e Japão entram em disputa territorial que desperta rancores antigos, gera protestos nos dois países e abre crise diplomática.


Chineses quebram carros japoneses (acima) e ativistas protestam
no Japão contra tentativa da China de ocupar ilha rica em petróleo.


As velhas feridas estão de volta. Desde os conflitos sangrentos da Segunda Guerra Mundial, Japão e China têm mantido relações frias o bastante para não provocar atritos, mas nos últimos dias o cenário de tranquilidade mudou. A tensão se instalou depois que ativistas chineses desembarcaram nas ilhas Senkaku, alvo de disputa territorial entre as duas nações, e foram deportados. Na semana passada, em resposta à ocupação chinesa, uma frota de 20 navios japoneses, com cerca de 150 militares, aportou no arquipélago para reafirmar a soberania do país sobre o local, garantida por um tratado assinado em 1951. “É um território indiscutivelmente japonês”, afirmou Eiji Kosaka, um político de Tóquio. Do outro lado, a reação também foi rápida. Em pelo menos oito cidades, milhares de chineses saíram às ruas para protestar. Em Shenzhen, na fronteira com Hong Kong, carros e multinacionais de origem japonesa foram depredados. 

Autoridades chinesas também se pronunciaram. “O Ministério das Relações Exteriores manifestou seu enérgico protesto à embaixada japonesa na China, pedindo ao Japão que se abstenha de qualquer ação que atente contra a nossa soberania territorial”, declarou o governo em um comunicado.

Para o diretor do Centro de Estudos Japoneses da Universidade de São Paulo (USP), Koichi Mori, o que está por trás da disputa é o momento de transição política pelo qual passa o Partido Comunista Chinês. “A China quer ampliar seu território e firmar uma posição de supremacia sobre os demais países asiáticos”, explica ele. “Para isso, a estratégia foi reacender o conflito e incentivar a população a protestar pela região.” 

As oito ilhas ocupam um total de sete quilômetros, entre China, Japão e Taiwan. Além de estarem próximas a importantes rotas de navio, são áreas pesqueiras férteis e possuem reservas de petróleo e de gás de expressivo valor financeiro. A disputa alimentou rancores antigos. 

Segundo pesquisa recente, 84% dos japoneses possuem uma percepção negativa dos chineses. Na outra ponta, 64% dos chineses têm uma imagem negativa dos japoneses.